quarta-feira , 26 setembro 2018
Início > Colunistas > Eu acredito no amor

Eu acredito no amor

Eu acredito no amor
Seja ele qual for;
O amor é tão maior que tudo
Que há de sermos dois
Para suportá-lo.
Os homens dividiram o amor em pedaços
Porque não suportaram
Vivê-lo por inteiro…

Não é por acaso que nasci poeta. A poesia me veio do ventre porque eu teria de fazer uso dela quando os homens se esquecessem de amar…

Acho que cheguei um pouco antes dessa tragédia acontecer. Graças a Deus. Assim me prepararei com mais tempo e mais rimas para tentar dissuadir a humanidade dessa catástrofe eminente. Eu não suportaria viver num mundo sem amor…

É claro que fui feito por amor. Nenhum homem é capaz de amar se não tiver sido amor antes de ser gente.

Eu acredito no amor. Seja ele qual for. O amor nunca teve caras, nem bocas, nem olhos, nem cor, nem sangue, nem partido político, nem religião, nem sexo ou ideologia. O amor é simplesmente o amor. Essa fagulha que se acende dentro da gente e incendeia o mundo, queima as estrelas, põe fogo na alma, atinge os corações mais endurecidos e salva o homem de si mesmo…

Eu acredito no amor e na sua infinita possibilidade de transformação porque amar implica mudança. Nunca se ama sem se modificar pensamentos, conceitos, sentimentos e atitudes. Amar é um aprendizado e quando se aprende algo, muda-se de comportamentos e os gestos se tornam plenos de significados, envoltos de total leveza e ternura…

Se amo a cada dia, cada dia deve ser diferente, com mais luz e mais brilho porque o amor colore, intensifica, dinamiza, acende, resgata, salva, vivifica, plenifica, poetiza, enleva, revela…

Toda forma de amar encontra respaldo no universo, pois sempre há alguém ou algo que não é amado da forma convencional com a qual a maioria dos seres humanos dizem amar…

Um rio nunca é o mesmo a cada passagem, nem o vento, nem a natureza, nem o homem.

Se o amor se limitasse a uma única forma de amar, desconsideraria a órbita do universo que é diferente e nova a cada volta…

Se o amor olhasse o mundo de um olho só, acabaria por deixar milhões na total escuridão.

Sempre ouvi e digo repetidas vezes que o amor é o jeito que Deus encontrou de estar aqui tentando consertar as coisas. Deus olha onde ninguém enxerga, anda por caminhos nunca antes percorridos, sente os sentimentos mais próximos e distantes do homem. Deus é amor e amor é a soma de todos os bons sentimentos…

Não se vive o amor sozinho porque amor é cumplicidade e partilha. Não dá pra sonhar sozinho, sorrir sozinho, sofrer sozinho…

Quando Deus nos fez, partiu-nos em dois, três dez, cem, milhares de pedaços de amor, espalhados por todos os cantos do mundo. Temos a missão de sair por aí, perseguindo, no outro, as peças desse infinito quebra-cabeças que vai nos deixando inteiros ou despedaçados a cada dia. E essa busca insana nem sempre acontece à luz do dia…

Dizem que se morre de amor. Eu não acredito.Morrer de amor é apenas uma hipérbole. O amor nunca mata, o amor nunca destrói o outro, não pode ser um mal necessário. O amor é um bem essencial…

A gente se engana, eu sei (e como sei!), mas existe algo dentro de nós que insiste nessa busca, na eterna busca pelo par ideal, pela sensação de amar e de ser amado… E, nessa busca é que se constrói o amor. Não é possível encontrar o amor em latas, caixas ou embalagens fechadas pronto para se consumido ou consumado. Não se vende amor em prateleiras…

O amor já fora confundido com os mais torpes sentimentos. Até o egoísmo de alguns cismou de ser amor. Como pode alguém matar por amor? Foge à minha inteligência e razão.

Quem ama deixa livre. Livre para ser e viver. Livre para construir e constituir… Amar exige essa postura…

O amor fora quase sempre confundido com desejo. E desejo acaba com o passar do tempo. Ninguém deixa de amar o outro por falta de desejo. O amor não pode se limitar à carne, à condição humana. Amar é a verdadeira transgressão dos corpos e das almas.

O amor é algo insuportavelmente difícil. É uma construção que se faz a cada dia, a cada tropeço. É como uma casa: se feita num solo despreparado, certamente ruirá.

Eu acredito no amor. Sei que ele existe e o efeito que faz.

Medos? Talvez. Por que, não? Amor compromete e amar significa entregar-se de corpo e alma assumindo as causas e os defeitos. Sim, defeitos. Quando se ama, os defeitos fazem parte do pacote. E aceitar o outro com a sua possibilidade e limitação é um passo para a construção de uma sólida vida a dois, a três, a quatro…

Fábio Gonçalves

Leia também

Aos meus sabiás, com amor…

A adolescência pode ser a melhor ou a pior parte da vida de um ser ...

Deixe uma resposta